Greve Geral reúne milhares em Santa Maria (RS)

Professores municipais integraram na linha de frente de uma das maiores greves já vistas no país

 

Milhares de trabalhadores participaram de um ato ao final desta última sexta-feira (28 de abril). Toda essa concentração foi resultado de um dia inteiro de Greve Geral, uma mobilização organizada pelos trabalhadores com o objetivo de alertar à população sobre os ataques aos direitos trabalhistas e previdenciários que estão em curso no país. Ainda na mesma semana da greve geral, o presidente em exercício, Michel Temer (PMDB), aprovou a reforma trabalhista, mexendo diretamente na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) brasileira. Além da reforma trabalhista, e aprovação da terceirização, segue em discussão no congresso a reforma da previdência (a mesma que aumenta os anos de contribuição, a idade mínima para aposentadoria e que retira direitos conquistados ou dificulta o acesso aos mesmos, como aposentadorias integrais e especiais).

Em Santa Maria, as mobilizações da Greve Geral iniciaram na madrugada, às 4h, com barricadas em frente à saída de ônibus da Expresso Medianeira. Ainda no começo da manhã, estudantes, servidores e docentes se manifestaram em frente à UFSM, em Camobi, com a entrega de panfletos sobre a greve e bloqueio na entrada da instituição. Ao todo, 65 escolas municipais paralisaram total ou parcialmente suas atividades durante toda a sexta-feira. Simultaneamente, diversos atos ocorriam no centro da cidade, com entrega de panfletos, fechamento de ruas e gritos de ordem. Ao final da tarde, um ato reuniu milhares de pessoas, percorrendo as principais ruas do centro da cidade, culminando em uma grande concentração na Avenida Rio Branco, em frente à SUCV. Ao longo da manifestação, bandeiras e camisas de diversos sindicatos (incluindo o Sinprosm), bem como de movimentos sociais e coletivos autônomos que construíram a mobilização. Durante a caminhada, gritos de “Fora Temer” acompanhados de “Eu não vou trabalhar até morrer!”.

DSC_0551

40 milhões de trabalhadores aderiram à greve – Em todo o país, as centrais sindicais estimam que mais de 40 milhões de trabalhadores cruzaram os braços e integraram as mobilizações e atividades da Greve Geral do dia 28. A imprensa nacional também divulgou que foram, aproximadamente, R$ 5 bilhões de reais o total de impactos causados à economia diante da ação dos trabalhadores. Piquetes, bloqueios e manifestações preencheram toda a realização da greve. Em Santa Maria, além da categoria dos professores municipais, participaram da greve os professores estaduais, docentes e servidores da UFSM, rodoviários, bancários, trabalhadores dos Correios, metalúrgicos, comerciários, além de integrantes de diretórios acadêmicos, movimentos sociais, organizações autônomas, líderes sindicais, integrantes de partidos políticos e independentes.

Confira também, abaixo, o registro que a assessoria de comunicação da Sedufsm Andes-sn produziu sobre a última sexta-feira (28), dia de Greve Geral no país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *