No fim, Câmara adiou o projeto de reposição salarial

Ontem anunciamos que o projeto de lei da Prefeitura Municipal que repõe o pagamento dos municipários em 6,14% seria votado na Câmara de Vereadores na tarde de hoje. Embora o projeto não estivesse na pauta da sessão, acreditava-se – inclusive porque vereadores entraram em contato com o sindicato para informar sobre o projeto – que a votação ocorreria em uma sessão nesta tarde. A pressão dos dois maiores sindicatos de servidores do município – Sinprosm e Municipários –, entretanto, fez com que os vereadores reconsiderassem. A pauta principal do Sinprosm tratava, em primeiro lugar, de uma análise mais detalhada do índice proposto, para que se chegasse à correção dos 6,41%, referentes à inflação de 2014, para 8,12%, referentes ao período de março de 2015 a março de 2014 e da complementação até o índice de 13,01%, equivalente ao reajuste do Piso Nacional do Magistério.

A professora Jane May de Oliveira Leal ressaltou, durante a proposta aos legisladores, que o sindicato “não está renunciando à reposição de 6,41%”, mas que o número seja revisto considerando os últimos 12 meses desde março e também a revisão de acordo com o Piso; o próprio ofício entregue aos vereadores fala em “análise mais detalhada do índice” e requer que a reposição seja votada ainda em maio para que o aumento já valha para este mês. O Sindicato dos Muncipários, da mesma forma, também pediu vistas ao projeto para que a votação não acontecesse nesta tarde. Os sindicalistas lamentaram a recusa de diálogo por parte do governo municipal e que ambas as entidades tentaram contato com o gabinete do prefeito reiteradamente durante este ano.

Para que a votação ocorra, agora, os vereadores pedem uma reunião dentro do menor período possível com o próprio Cezar Schirmer e as entidades de classe para discutir os valores da reposição. A Câmara informa que assim que o encontro estiver marcado, entrará em contato com as categorias. “O que se tem de certeza é que a reposição de 6,41% retroativos a março ocorrerá. A melhora da proposta do executivo, porém, depende das negociações que se inciaram a partir da tarde de hoje”, frisa a professora Jane.

Você pode ler o ofício entregue pelo Sinprosm aos vereadores na íntegra aqui:

Ofício - Reposição

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *