Plano de saúde e Piso são pautas do primeiro encontro entre Pozzobom e Sinprosm

O prefeito Jorge Pozzobom recebeu a coordenação do Sinprosm na última sexta-feira (3), abrindo assim uma agenda de negociações entre a nova gestão do Executivo Municipal com a categoria.

Como esta é a primeira reunião do Sindicato com a nova gestão à frente do município, foram elencadas duas pautas centrais para debate: o plano de saúde dos servidores municipais e o Piso Nacional do Magistério.

Sobre o primeiro ponto, os coordenadores apresentaram a Pozzobom a atual situação: o plano privado contratado para a prefeitura é muito oneroso, além de levar em consideração apenas a faixa etária dos titulares e dependentes, o que o torna a situação ainda mais delicada para os aposentados do município. “Eu e o pessoal da Secretaria de Saúde vamos sentar e debulhar a questão do que aconteceu com o plano de saúde oferecido pela Unimed.”, comprometeu-se o chefe do Executivo municipal, que também afirmou que irá enfrentar e solucionar esse problema.

Apoiando-se no fato de que Jorge Pozzobom também acumula o cargo de Secretário de Município da Saúde, a coordenação apresentou a proposta da criação de um plano de saúde autogestionável do município. Para mostrar como o projeto é viável – tanto judicialmente quanto economicamente – o Sindicato entregou um relatório das visitas realizadas às autarquias que gerem a saúde dos servidores nos municípios de Novo Hamburgo e Passo Fundo.

“O que nós vimos quando visitamos as duas autarquias? Primeiro que tem que ter vontade política de pelos menos começar aceitar na possibilidade de criarmos em Santa Maria um sistema semelhante. Não que precisemos copiar ou já iniciar grandes como o IPASEM ou o CAPASEMU, mas criarmos o nosso plano, com as potencialidades que temos em nossa cidade”, disse a professora Jane May Leal, coordenadora do Sinprosm.

Para dar encaminhamentos para a conversa, será criado um grupo de trabalho para analisar a proposta do plano auto gestionável municipal. Ao mesmo tempo, também ficou estabelecido o compromisso do executivo com a sugestão do Sinprosm de uma agenda permanente de encontros, com o objetivo de debater todas as demandas da categoria.

Sobre a questão do Piso Salarial do Magistério, o coordenador Paulo Merten expôs: “Há alguns dados que são interessantes colocarmos na mesa: a inflação de 2016 foi de 6,29%, e a data-base para a reposição dos servidores é fixada em março. Neste mês, todos os anos, deve ser feita a reposição das nossas perdas salariais. O sr. também já deve ter conhecimento que a correção do MEC a respeito do Piso do Magistério foi de 7,64%. Além disso, terminamos o ano passado faltando 6,84% para alcançar o Piso, e chegamos a propor para a administração anterior que esse valor fosse pago parcelado, porém não fomos atendidos. Agora, com a mudança de gestão, gostaríamos de colocar transparentemente para a categoria quais são as expectativas. ”

Apesar da expectativa da categoria, Jorge Pozzobom não assumiu para os presentes o compromisso de reajustar o salário dos professores buscando a equiparação com o Piso Nacional: “Minha primeira decisão é não parcelar salário. Não sei ainda se vou poder 1, 2, 3, 4%… mas te garanto que o salário não será parcelado.”, disse ele.

Outros pontos importantes também foram abordados rapidamente durante a reunião, tais como o contrato emergencial para garantir um início de ano letivo com quadro de pessoal completo na rede, a contratação de vagas para educação infantil e a realização de um novo concurso público para o Magistério.

Participaram da reunião, além de Jorge Pozzobom, o vice-prefeito, Sergio Cechin, a Secretária adjunta interina de Educação, Maria Goretti Rocha Farias, Solaine Massierer, da equipe de RH da Smed, a vereadora Lucy Tia da Moto, os membros da coordenação do Sinprosm Jane May de Oliveira Leal, Magda Dias, Paulo Merten e Pedro Adamar e o representante da Secretaria dos Aposentados do Sindicato Clery Quinhones.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *