Professores municipais realizam ato em frente à prefeitura

A categoria dos professores municipais esteve reunida em um ato em frente à prefeitura nesta quarta-feira (12). O ato, deliberado na assembleia do dia 22 de março, cobra do executivo municipal um posicionamento a respeito das pautas da categoria, como a equiparação ao piso nacional do Magistério, a solução para o problema do plano de saúde dos servidores públicos municipais, a realização de reuniões pedagógicas semanais dentro da carga horária dos professores, o planejamento para todas os docentes da rede, entre outros.

Durante a mobilização , professores utilizaram camisetas do sindicato com os dizeres “Contra a retirada de direitos dos trabalhadores”, em referência, principalmente, às reformas governamentais nos setores da previdência e trabalhista. Com bandeiras, faixas e caixas de som, distribuindo boletins informativos sobre a pauta, a categoria se manifestou diante da administração sobre suas pautas principais. O sindicato lembrou que o prefeito Jorge Pozzobom (PSDB), em última reunião realizada com a entidade (no dia 7 de abril), apontou o próximo dia 17 de abril como data para apresentação da proposta salarial. Os professores lutam por um reajuste de 15% para que suas folhas de pagamento se equiparem ao piso do Magistério.

A direção do sindicato também reforçou a participação da categoria na Comissão de Saúde, na qual a questão do plano de saúde está sendo pautada. Além do plano de saúde e do piso salarial, a categoria manifesta a importância do direito ao planejamento nas escolas, bem como a realização de reuniões pedagógicas dentro da carga horária. Foram lembradas, também, as questões que envolvem o aumento do período de licença-maternidade para as professoras, o concurso público e a mobilização para a greve geral do dia 28 de abril, marcada para acontecer em todo o país e organizada por diversas categorias de trabalhadores. Em breve as escolas receberão materiais chamando para a paralisação do dia 28.

O coordenador de comunicação do sindicato, Paulo Merten, afirma que a categoria gostaria, com essa mobilização, que a prefeitura incorporasse a pauta dos professores, apresentando um projeto, com cronograma, contemplando o piso salarial e o plano de saúde, compreendendo a realidade dos professores municipais.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *