Professores do município paralisam atividades amanhã

A decisão foi unânime durante a última assembleia do Sindicato dos Professores Municipais de Santa Maria – Sinprosm, ocorrida no dia 30 de abril: amanhã as escolas da rede pública municipal suspenderão totalmente as atividades letivas em protesto contra o que a coordenação sindical chama de “desmonte da educação pública do município”. Os docentes reivindicam, entre outras pautas, o reajuste equivalente ao do Piso Nacional do Magistério – que, em 2015, foi de 13,01% –, uma solução para a falta de professores que atinge quase todas as escolas da rede, a reforma urgente de algumas instituições com graves problemas estruturais, a possibilidade da realização de reuniões pedagógicas durante o turno de trabalho, a destinação de 1/3 da carga horária para o planejamento de aulas e um plano de saúde compatível com a renda dos funcionários do município.

O Sinprosm, além de avaliar que a insatisfação é ampla na categoria, denuncia também a recusa do prefeito Cezar Schirmer em receber a entidade de classe. Desde janeiro, quando o prefeito recebeu a coordenação do sindicato para tratar exclusivamente do plano de saúde dos municipários, já foram enviados seis ofícios, já houve um ato público cujo mote foi a entrega de cartas ao Poder Executivo e a coordenação sindical chegou a passar uma tarde na sala de recepção do Gabinete do Prefeito para tentar marcar uma reunião. Embora o prefeito tenha afirmado, durante a reunião de janeiro, que estaria sempre disposto a receber o Sinprosm, a entidade só teve acesso às secretarias para tratar de assuntos pontuais.

No dia 14, além da paralisação, planejam-se um ato público e uma manhã de discussões em cada escola da rede municipal.    Para a manhã, a ideia é que os professores de cada escola se reúnam para refletir a respeito de questões pertinentes à categoria. À tarde, planeja-se um grande ato público na Praça Saldanha Marinho, com a participação de entidades sindicais e movimentos sociais da cidade. O evento está marcado para as 16h e haverá discursos e atos culturais.

Mesmo após a paralisação, as mobilizações do sindicato continuarão até que as pautas da categoria sejam atendidas. A coordenação afirma que as estratégias de lutas serão intensificadas nos próximos meses – sem abrir mão, entretanto, da disposição de diálogo com a administração municipal como forma democrática de encaminhar as reivindicações.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *